Escolhas e Responsabilidade

Escolhas e Responsabilidade

Imaginemos a seguinte cena: o despertador toca às seis da manhã, a pessoa se levanta, vai escovar os dentes, tomar café, se arrumar… tem tempo para fazer tudo isto antes de sair de casa para ir ao trabalho. Imaginemos agora a mesma cena, mas ao invés de se levantar quando o despertador toca, esta pessoa resolve ficar mais dez minutinhos, depois mais dez… e então está atrasada!! Embora faça tudo correndo, perde o ônibus, chega atrasada no trabalho e ainda sem tomar o café da manhã.

Nas duas situações houve escolhas: levantar-se na hora em que toca o despertador, ou ficar mais um tempinho na cama. Tomar café em casa ou fora. As escolhas sempre se refletem de muitas maneiras, na segunda situação, por exemplo, há um gasto financeiro quando se opta por tomar café fora de casa.

Fazemos escolhas a todo tempo, desde a roupa que vamos vestir, até mesmo com quem vamos namorar e/ou casar. Decidimos quem serão nossos amigos, com o que vamos trabalhar, etc., de modo que cada uma dessas escolhas pode apresentar resultados positivos ou negativos.

Por razões, muitas vezes inconsciente, podemos fazer escolhas com consequências negativas, e ainda permanecer nelas para piorar a situação. A ciência de Freud, a psicanálise, pode nos ajudar a ter consciência do motivo que nos leva a fazer determinadas escolhas e, com base nisso, podemos melhorar nossa vida com escolhas diferentes.

O processo analítico é a procura do autoconhecimento, e a partir dele podemos tomar consciência de que cada um de nós é responsável pelas escolhas que fazemos, recordando que a responsabilidade é a grande característica da vida adulta. Portanto, ser consciente de que cada um de nós é responsável por si mesmo é um dos melhores caminhos para viver de maneira plena nossa jornada da vida.

Tanânia Chaves
Psicanalista e psicoembrióloga

8 Comentários

  1. marcelo pereira disse:

    Parabéns pelo artigo Tanânia.

  2. Kelly Cristina Veronesi disse:

    Olá Tanânia , gostei muito do seu texto. Parabéns!

  3. Andressa Caroli Orcajo disse:

    Amei quero ir nessa palestra. Muito o.que aprender sempre…

    • Tanânia disse:

      Muito obrigada, Andressa, pelo comentário.
      Venha participar de uma de nossas palestras e conhecer o Instituto.

  4. Luiz Palman disse:

    Na vida adulta estamos sempre fazendo escolhas, por vezes porém, nem sempre gostamos dos resultados dessas escolhas. Nossa expectativa com o resultado de nossas escolhas é sempre o positivo. E imaginamos que isso seja possível a cada escolha.

  5. Thiago B. Soares disse:

    Tanânia, seu texto é bom, porém, não leva à grande reflexão, tampouco de caráter analítico. O texto lembra bastante a literatura de autoajuda, que vem crescendo diariamente, não fosse por uma premissa: “o processo analítico é a procura do autoconhecimento”, seria mais um texto de autoajuda. Tanânia, mais um detalhe, agora referindo-se a sua conclusão, tornar-se consciente da própria responsabilidade não está vinculado necessariamente ao processo analítico, mas, antes e sobretudo, a tomada de consciência de nossa existência como seres integrados a paradigmas. Portanto, a consciência de nossa autorresponsabilidade é pressuposto do processo analítico e não um seu derivativo ou um seu objetivo (embora, em alguns poucos casos, possa ser).
    Tanânia, obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X